No ar
SHOW DA MANHÃ
Segunda, 10 de dezembro de 2018
82 998044970
ALAGOAS

06/12/2018 ás 07h35

5

Redacao

ATALAIA / AL

Com incentivo do Governo de AL, cooperativas e associações ganham projeção nacional
Resultados do ciclo 2013-2018 do Programa de Arranjos Produtivos Locais apontam melhorias na vida de 15 mil produtores e artesãos alagoanos
Com incentivo do Governo de AL, cooperativas e associações ganham projeção nacional
ECONOMIA

Do artesanato ao cultivo de hortaliças, sementes e apicultura. As potencialidades dos pequenos negócios em Alagoas ganham destaque pela mudança na vida de quem produz. Amparados pelo Programa de Arranjos Produtivos Locais (PAPL), cooperativas e associações ganham projeção nacional ao participarem de feiras e eventos. Em Alagoas, o PAPL é coordenado pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sedetur), em parceria com o Sebrae/AL.


Atendendo a dez atividades produtivas atualmente, o programa é responsável por ampliar os contatos, alinhar a produção ao mercado e capacitar os beneficiados com workshops que melhoram o diálogo com compradores e facilitam a comercialização. Os Arranjos Produtivos Locais (APLs) são responsáveis por colocar o estado na contramão do desempenho da atividade agrícola no país, com um aumento de 8,8%, o maior índice do Nordeste e acima da média nacional.


Divulgar as marcas, dar assistência e notoriedade ao trabalho desenvolvido no interior alagoano e fomentar novas formas de comercialização de produtos são os objetivos programa, que contempla mais de 15 mil pessoas, nas mais diversas atividades econômicas. Em operação desde 2004, o PAPL contribui diretamente na criação de postos de trabalho e na geração de renda da população.


Com o incentivo do Governo do Estado, por meio da Sedetur, e em parceria com o Sebrae/AL, histórias como a de Maria José são cada vez mais comuns. Integrante da Associação de Mulheres Rendeiras de Marechal (AMU), a artesã evidencia a importância da parceria para a visibilidade do bordado filé.


“Nós estamos satisfeitas com o nosso trabalho, que é um dom que Deus nos deu. Eu vivo disso e trabalho desde os 7 anos como rendeira, assim como minha mãe trabalhava. Em Marechal, quem não é rendeira não é deodorense”, afirmou Maria José, destacando a importância da atividade por várias gerações.


Em Santana do Mundaú, a Ecoduvale é destaque na fruticultura. A associação, que conta com 16 produtores e é beneficiada pelo PAPL, une a atividade agrícola típica da região do Vale do Mundaú com marketing e relacionamento com o cliente.


Em operação desde 2004, o PAPL contribui diretamente na criação de postos de trabalho e na geração de renda


 


Pedro Paulo da Silva diz que sempre trabalhou no segmento e é filho de agricultores. “O auxílio é muito bom para a gente que é do campo, que aprende a comercializar melhor nossos produtos”, afirmou.


Atuante em nove municípios, o APL Horticultura desenvolve ações que visam à abertura comercial para os produtores. Essa articulação contempla também os produtores de mandioca, assistidos em 22 municípios.


Para o gestor da APL Horticultura do Agreste, Humberto Sant’anna, é importante que as pessoas saibam o que é produzido em Alagoas. “O nosso papel, como consultor especializado, é ver as potencialidades do território e trabalhá-las da melhor forma possível, para que os produtos de empresários e agricultores familiares estejam prontos para serem comercializados dentro e fora do Brasil”.


Para o gerente de APLs e Cadeias Produtivas da Sedetur, Everson Pontes, o ciclo encerrado em 2018 mostra os sucessos dos incentivos do governo. “Nós tivemos êxito em mostrar o trabalho desenvolvido pela Sedetur, em parceria com o Sebrae, e conseguimos passar para os produtores o interesse do Governo do Estado em manter viva a proposta para o ano seguinte, que é o PAPL Alagoas Maior. As atividades continuam a todo o vapor”, conta.


"Alagoas Maior" em 2019


Visando à cobertura de 84 municípios nas regiões Agreste, Sertão e Quilombos, o PAPL Alagoas Maior beneficiará cerca de 20 mil pessoas com o mapeamento de arranjos produtivos. Com investimento de R$ 2,3 milhões do Governo do Estado, o novo ciclo irá fomentar rodadas de negócios junto ao pequeno produtor para aprimorar a venda de produtos.


*Redação Alagoas Alerta com Assessoria

FONTE: *Redação Alagoas Alerta com Assessoria

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium